Mooca

A vistoria desta semana foi na zona leste, no bairro da Mooca, conhecido por todo mundo, até por quem nunca passou por lá. A Mooca é um bairro bem tradicional, famoso pelos seus moradores italianos que falam “meu”.

E para ter uma vasta ideia de como é acessibildiade do lugar, decidimos analisar a avenida mais famosa da região: a Paes de Barros.

A avenida tem grande importância na cidade, liga o bairro ao centro – são cerca de quatro quilômetros de extensão.

Calçada totalmente esburacada

Quem mora no bairro de origem italiana tem orgulho, veste a camisa e grita para todo mundo saber que é mooquense. Então já viu: ninguém sai de lá por nada…. Muitos moradores já são velhinhos, e por ter tudo que eles precisam por perto, quase não andam de carro e acabam circulando a pé mesmo. Quem precisa de transporte público não encontra dificuldades, porque em toda a extensão da avenida há corredores de ônibus.

Para os mooquenses e freqüentadores do local, a Paes de Barros é praticamente uma Avenida Paulista – guardadas as devidas proporções, claro! Tem banco (vários), escola, faculdade, academia, buffet, lojas de roupas, papelaria, padaria, pizzaria (claro), hamburgueria…tudo concentrado em uma única avenida.

E lá fomos nós, os Guardiões, para mais uma aventura urbana. Logo no começo, me deparei como é difícil ser pedestre cadeirante quando se circula na Paes de Barros.  Nunca havia me atentado ao fato de que a avenida é uma ladeira! Não é tão íngreme, mas sente em uma cadeira de rodas e tente andar por ali…

Para falar a verdade (e pra nossa surpresa também), as calçadas da região não estão em péssimo estado. O único problema é que não há uniformidade no passeio. Cada um faz a calçada seguindo seus próprios “padrões”, quando o correto seria procurar a subprefeitura de seu bairro e seguir as especificações corretas para realizar o conserto.

Loja esqueceu de deixar a calçada bonitaEm suma, os problemas foram os mesmos: algumas lojas sem acesso e alguns buracos nas calçadas. As rampas para travessia estavam em bom estado – com piso tátil, inclusive, nos pontos de ônibus, que ficam localizados no meio da avenida, fazendo uma espécie de ilha.

Agora, o que falta mesmo na Mooca é mais consciência dos proprietários dos estabelecimentos, que devem manter sua calçada acessível, bem como todo o espaço da loja.

A Mooca atende as necessidades de todos, só falta olhar com mais carinho para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. Afinal, os mooquenses são muito acolhedores, não falta muito para serem inclusivos, também.

Publicado em Categorias Guardiões das Calçadas