Em Bertioga, no litoral paulista, Mara Gabrilli participa de Maratona Aquática de 24 km

mara-triatlo

Será a primeira vez que um tetraplégico participa de uma prova tão longa.

O litoral paulista se prepara para ser palco de mais uma prova com fortes emoções e muita superação. A partir das 8h deste sábado, 12/11, a tradicional Maratona Aquática 14 Bis, em sua 49ª edição, desafia seus competidores a concluir a travessia de 24 km através das águas marítimas do Canal de Bertioga, que separa a Ilha de Santo Amaro (Guarujá) do continente.

Essa edição, no entanto, promete uma dose a mais de superação. A atleta Mara Gabrilli, que é tetraplégica, vai participar da prova, em parceria com o triatleta e ultramaratonista Reinaldo Bassit, o “Tubarão”.

Será a primeira vez que um tetraplégico participa de uma prova tão longa. Inspirado por atletas que competem acompanhados por seus filhos com deficiência, Tubarão resolveu realizar provas de alta performance levando consigo uma pessoa com deficiência física.

A parceria com Mara Gabrilli começou em abril, quando juntos participaram da UB 515 Brasil Ultra Triathlon, completando os 10 km marítimos em menos de 5 horas. Para enfrentar este desafio inédito foi necessário desenvolver um equipamento moderno, que permitisse economia de energia, no qual Mara se apoia, e que é puxado por Tubarão. Na água, com menos atrito e gravidade, a resistência diminui e Mara consegue realizar movimentos que não pode fazer fora dela.

“Fico o tempo todo praticando uma respiração acelerada e tentando mexer as pernas, contrair os músculos. Com a ajuda da água, algumas vezes consegui movimentos que me fizeram bater a coxa na barriga”, afirma Mara Gabrilli.

Com duração máxima de 10 horas, o percurso de aproximadamente 24 km prevê a largada a partir do Forte São João, em Bertioga e chegada na rampa de acesso da Base Aérea de Santos – BAST.

Mara é fundadora do Instituto Mara Gabrilli, OSCIP que apoia atletas com deficiência e levou 5 atletas para disputar as Paralimpíadas do Rio de Janeiro. Em 1994 sofreu um acidente automobilístico que a deixou sem os movimentos do pescoço para baixo. Após 21 anos de uma rotina que inclui boa alimentação, fisioterapia e exercícios diários a base de eletroestimulação, recuperou movimentos parciais dos braços, que hoje a permitem pilotar uma cadeira de rodas motorizada.

 

Sobre a prova

 

A Maratona Aquática 14 Bis é a maior e mais tradicional prova de seu gênero no Brasil, tendo envolvido milhares de nadadores brasileiros e internacionais ao longo de seus mais de quarenta anos de história.

 

Conduzida nas (nem sempre) calmas águas do Canal de Bertioga – o canal que separa a Ilha de Santo Amaro (Guarujá) do continente – ela teve sua primeira edição no ano de 1970, numa aventura ousada para a época. Com cerca de 24 km de extensão, a prova demonstra ser um desafio para todos os estilos.

 

Quem faz uma Maratona Aquática 14 Bis não esquece da emoção de emergir no outro extremo da prova, exaurido pelos quilômetros de esforço, pelas correntezas, pelas mudanças da maré, pelos percalços ao longo da prova, pelas marolas, pelo vento contra e por tantas outras dificuldades que lhe são peculiares. E depois de tudo, ser recebido pelos militares e representantes de Bertioga e Guarujá com um sorriso no rosto, um forte aperto de mão e uma medalha no peito. Isso não tem preço!