Mara Gabrilli recebe Prêmio de Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns

Em 2017, até o dia 02 de outubro a sociedade civil indicou nomes através de um formulário pela internet. Depois disso, o Comitê de Educação em Direitos Humanos elaborou uma lista tríplice, com base no histórico e na identidade da luta de cada pessoa indicada, e enviou ao Prefeito de São Paulo, João Dória, que fez a escolha final do homenageado
A deputada federal Mara Gabrilli (PSDB/SP) foi agraciada na noite de quinta-feira (14/12) com o Prêmio de Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – 2017.

A homenagem do município de São Paulo, que está em sua quarta edição, é concedida anualmente a pessoas que se destacam na luta pelos Direitos Humanos. Nas três primeiras edições, os homenageados foram Frei Betto, Luiza Erundina e Padre Jaime Crowe, figuras de destaque nacional na luta pelos Direitos Humanos, com ampla atuação na Cidade de São Paulo.

“Fico muito honrada em receber esse prêmio, que leva o nome de alguém que dedicou a vida na defesa dos direitos humanos. Esse reconhecimento renova minhas energias para seguir trabalhando nessa área”, afirmou Mara Gabrilli.

Realizado desde 2014, o prêmio foi criado com objetivo de reconhecer nomes relevantes para movimentos e causas sociais. Nos dois primeiros anos a escolha era feita pelo prefeito da cidade, mas desde o ano passado o público passou a participar da votação por meio da indicação de nomes importantes para a sociedade.

Em 2017, até o dia 02 de outubro a sociedade civil indicou nomes através de um formulário pela internet. Depois disso, o Comitê de Educação em Direitos Humanos elaborou uma lista tríplice, com base no histórico e na identidade da luta de cada pessoa indicada, e enviou ao Prefeito de São Paulo, João Dória, que fez a escolha final do homenageado.

A cerimônia de entrega e a homenagem do Prêmio ocorreu durante o Festival de Direitos Humanos, junto com a entrega do Prêmio de Educação em Direitos Humanos. O Prêmio foi entregue pela Secretária Municipal de Direitos Humanos, Eloísa Arruda. A data da entrega marca exatamente um ano da morte de Dom Paulo Evaristo Arns, arcebispo de São Paulo que leva o nome da premiação e teve uma vida inteira marcada pela defesa dos direitos humanos.

 

Publicado em Categorias Notícias